Recomendações

Exercícios físicos requerem cuidados – Fonte SBC

Com o verão aumentam os praticantes esporádicos de atividades físicas. O clima estimula a vaidade, pela maior exibição das curvas, e eleva a disposição de “malhar”, jogar futebol, fazer uma caminhada ou optar por exercícios na água. Porém, para os sedentários, se aventurar nessas práticas sem o preparo ideal pode ser mais perigoso para o coração do que permanecer parado.

O exercício físico demanda uma maior necessidade de nutrientes e oxigênio nos músculos do corpo, o que vai exigir do coração um desempenho maior. O órgão terá que bater mais vezes por minuto. Outro fator que leva à taquicardia é o calor que é vasodilatador, ou seja, aumenta o espaço interno nas veias e artérias. “Não pode haver espaços vazios, portanto o coração precisa trabalhar mais para preencher os vasos sanguíneos”, explicou o cardiologista Carlos Benedito de Almeida Pimentel.

O médico ainda relata um terceiro motivo para a taquicardia, a desidratação, que reduz o volume de sangue circulante. “O coração acaba batendo mais para compensar essa diminuição”, disse Pimentel. Em virtude desses fatores, o mais indicado antes de iniciar uma atividade física é que as pessoas procurem um médico para saber se o coração está saudável, caso contrário a sobrecarga pode resultar em paradas cardíacas, infarto do miocárdio e arritmias graves. “O coração também pode ter outros problemas, como no sistema elétrico”, observou o cardiologista.

Manter-se hidratado, ingerindo líquidos antes, durante e após o exercício também é uma forma de aliviar o trabalho para o coração. Além disso, para amenizar o calor que dilata os vasos é importante buscar locais arejados e ao abrigo do sol forte ou horários mais apropriados, início e final do dia, para fazer atividade física.

A constância dos exercícios e a adaptação sem pressa também são importantes para garantir a saúde do coração. Os praticantes de futebol apenas uma vez por semana, que no restante dos dias são sedentários, por exemplo, devem ficar atentos. Se o coração estiver saudável e o esforço no jogo for moderado pode não haver problema algum. Porém, o ideal é que a atividade física ocorra mais vezes na semana.

“A demanda de esforço do coração entre os sedentários é maior do que entre os que praticam atividades físicas regularmente. Isso porque, com a prática de exercícios, o coração se torna mais eficiente, conseguindo bombar mais sangue a cada batimento. Portanto o órgão não precisa bater tantas vezes, o que evita a taquicardia”, esclareceu o médico.

Em função dessa explicação o cardiologista também orienta as pessoas para que não iniciem as atividades físicas de forma brusca, querendo saltar do sedentarismo direto para o atletismo. “É como um carro que costuma passar a maior parte do tempo na garagem. Se você quiser sair pisando demais no acelerador, ele pode dar sinais de que não está agüentando. O coração não deixa de ser um motor no organismo”, mencionou o médico.